Contos e passagens pelo olhar de um andarilho cibernético. Perspectivas e análises de um mundo em movimento, onde o homem vive em constante conflito com o seu próprio ser.

quinta-feira, junho 17, 2004

Aprender uma língua, não se resume em vocabulário

Uma coisa que devemos levar em consideração no estudo de uma língua, é a questão cultural.
Várias pessoas não se preocupam com isso, mas é muito importante para não cometermos gafes e pagarmos micos, que muitas vezes não são intencionais, pois o que para um povo pode ser ofensa ou falta de educação, etc. Para outro pode ser uma coisa normal.
Ontem, em uma conversa com o meu Sensei (mestre) Akira, comentamos sobre a questão de convidar ou oferecer algo a uma pessoa. No Japão, é costume deles negar o convite ou coisa umas duas vezes e somente na terceira aceitar e o "convidante" insistir as 3 vezes. Aqui no Brasil, já é um pouco diferente, né... Se você nega um convite na primeira vez, já fica meio aquela idéia de que você não quer ou está com vergonha. Até insistimos, mas já naquela intenção de tentar convencer a pessoa a aceitar e não por ver aquela pessoa como educada.
Por exemplo: O japonês quando vai convidar alguém diz algo como: "- Caso você não for fazer nada e não for te atrapalhar, amanhã é a festa de aniversário do meu filho. Se puder compareça."
E brasileiro já é mais: " - Amanhã é a festa do meu filho, conto com a sua presença."
Não sei se com esses exemplos consegui passar a idéia sobre o que quero dizer.

Acho que vou criar mais um tópico no blog: "Curiosidades dos povos" ou "Diferenças de cultura entre o Brasil e outros países".